O e-social será reformulado e simplificado

Compartilhe:

O E-social (Sistema de Escrituração Digital das Obrigadações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas) será reformulado, conforme declaração do Secretario Especial de Previdência e Trabalho do Minitério da Economia Rogério Marinho. A declaração ocorreu nesta terça-feira (09).

Em janeiro de 2020 será implatado dois novos sistemas bem mais simplificados. Um deles será direcionado a grandes e médias empresas reduzindo a burocracia e outro direcionado a pequenas e microempresas ainda mais simples.

O e-social foi criado em 2013 ele unifica as informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), a Relação Anual de Informações Sociais (Rais), a Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia e de Informações à Previdência Social (GFIP) num único espaço para envio ao Governo Federal.

Marinho declarou que há excesso de detalhamento na alimentação das informações. O objetivo é diminuir os layouts existentes. A ferramenta precisa ser mais amigável e facilitar o processo tanto para o governo federal, quanto para quem repassa a informação.

O governo recebeu 119 sugestões para alterações no sistema do E-SOCIAL, conforme informado pelo portal do governo. Foram 84% das propostas atendidas. O governo afirma que haverá muitas reduções nos dados informados pelo empregador. Isso é possível pois o novo sistema irá cruzar os dados que já estão disponíveis em outros sistemas.

O sistema chegou a pedir 2000 informações dos empregadores, foi reduzido para 900 e a proposta que chegue a 450 informações.

Por enquanto até as mudanças o sistema permanece em uso. O governo fará uma sistemática para as mudanças para não prejudicar quem já investiu seu tempo e recursos para oprocesso de alimentação de informação.

O Síndico Profissional Elcio Godoy  afirma que o e-social é fundamental para o país e também para os condomínios. ” Ele simplifica a informação, reduzindo os formulários e declarações.  É um sistema que permite, em tese, atuar com mais transparência e segurança jurídica  nas relações de trabalho, imprescindível para a segurança  financeira e trabalhista do condomínio”, comenta.

Para Elcio a simplificação é um passo importante para facilitar a declaração e tornar o sistema mais objetivo. “Muitos detalhes acabam gerando erros de preenchimento. Com a simplificação ocorrerá automaticamente a redução destes erros, consolidando a base de dados do governo com dados mais precisos.” , diz

A Síndica Profissional Thais Nunes destacou sua opinião sobre as mudanças previstas. Para Thais,  o novo e-social tem como objetivo maior agilidade e transparência entre a relação empregador e empregado, onde antes as informações eram enviadas apenas uma vez por mês, hoje são enviadas e menor tempo, como uma admissão, demissão ou aviso de férias.”Ele protege o trabalhador também no sentido da transparência das informações, porém os síndicos precisam ficar atentos, para evitar qualquer punição que possa prejudicar o condomínio, todas as informações devem ser claras e corretas e o apoio da administradora é essencial”,diz.

Juliane Pinheiro é especialista em Contabilidade Condominial e Administração de condomínios. Para ela, o E-social veio para facilitar o trabalho das empresas. Ela afirma que o e-social consolida várias obrigação como: CAGED, SEFIP, RAIS entre outras obrigações, que agora seriam entregues unificadas. Destaca ainda que por outro lado os sistemas que as empresas utilizam não foram adaptados para suportar todas as exigências do e-Social.” Acredito que por isso o calendário das obrigações das entregas do calendário do e-Social esta mudando muito, pois não conheço nem um sistema de RH que esteja funcionando perfeitamente. E as empresas que fornecem os sistemas, não então preparadas para dar o suporte necessário, e ainda cobram por esse trabalho”, destaca

Juliana declara ainda sobre os comentários sobre uma suposta extinção do e-social ” Fim do e-Social, NÃO acredito. Pois tanto o governo como as empresas já envestiram muito nisso. O que vão fazer, é ao invés de 1 sistema unificado, vão ser 2 apartir de janeiro”, diz

Para o consultor das áreas Trabalhistas e Previdenciária Jacir Borges, especialista na temática do E-SOCIAL é temerário falar de FIM DO E-SOCIAL, sua extinção seria um retrocesso. “Essa plataforma tem papel importante na simplificação das obrigações fiscais dos empregadores e contribui para o avanço tecnológico do Estado. A função do e-Social é importante, seu método é que precisa ser melhorado.”

E você ? Qual sua opinião sobre o e-social? E o que achou das mudanças previstas

 

?

 

Assista na TV Brasil


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *