Tragédia anunciada: desabamento de prédio em São Paulo

Hoje aconteceu em nossa cidade um incêndio de grandes proporções que culminou com o desmoronamento total do edifício sinistrado, além de uma morte confirmada até agora. Tal edifício estava invadido por famílias sem teto.
Na cidade de São Paulo por uma questão social de falta de moradia existem mais de 70 prédios invadidos, e milhares de pessoas vivendo em condições inseguras. Estas invasões priorizam edifícios desabitados que se encontram fechados, e com seus equipamentos de segurança contra incêndios (extintores, hidrantes, escadas de segurança e etc) sem condições de uso e sem manutenção, isto quando existem, o que acaba acarretando um risco de vida muito alto para os invasores.

Prédio de 24 andares desaba em incêndio no Centro de SP (confira PORTAL G1)

No caso destas invasões não existem responsáveis legais pelas edificações dada sua condição de ilegalidade, portanto, as regras que todo cidadão tem de seguir (pagar condomínio, luz, iptu, água e etc), não se aplicam aos invasores, o que é uma verdadeira afronta ao Estado Democrático de Direito.
No entanto, a maioria esmagadora dos condomínios que existem em São Paulo, tem pelo menos um responsável legal que é o Síndico. A legislação de segurança contra incêndios coloca o síndico como responsável pela obtenção do auto de vistoria do corpo de bombeiros (AVCB), e pela manutenção dos equipamentos de segurança contra incêndios existentes na edificação.

O Síndico responde civil e criminalmente pelo condomínio, portanto, o AVCB não é uma benfeitoria, é uma obrigação, e como tal deve ser encarado pela administração dos condomínios. Não deve haver dúvidas em relação ao AVCB, o mesmo é obrigatório e deve estar.

Aula online gratuita clique aqui

Confira aqui a reportagem sobre o acidente de São Paulo no site G1

https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/ao-vivo/incendio-de-grandes-proporcoes-atinge-predios-no-centro-de-sp.ghtml

COLUNISTA WAGNER MORA  

Coronel da reserva do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do estado de São Paulo;

  • Professor da Universidade Metodista do ABC – Cursos de Gestão Pública e Segurança Pública;
  • Professor da Escola Superior de Bombeiros (ESB);
  • Consultor de segurança contra incêndios – Moscardo Engenharia Ltda;
  • Membro do Grupo de estudos de Segurança contra Incêndios da FIESP (federação das indústrias de São Paulo);
  • Membro da ABNT (associação brasileira de normas técnicas), Comitê CB24 – grupo de estudos da NBR 14608 – Bombeiro profissional civil;

Deixe sua opinião